Ir para o conteúdo

Câmara de Janaúba - MG e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Câmara de Janaúba - MG
Acompanhe-nos:
Rede Social facebook
Rede Social Instagram
Rede Social Youtube
Serviços
História do Município

Janaúba é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população em 2010 chega a quase 70.000 habitantes. Banhado pelo rio Gorutuba, que o divide com os municípios de Nova Porteirinha e Riacho dos Machados. Tem como atividades principais a agricultura, pecuária e serviços (comércio). É a 2ª maior Cidade do Norte de Minas e a 52º de todo o estado. A area que mais se desenvolve é o Mercado de Trabalho e a Educação.A cidade acabou de ganhar um campus de uma Universidade Federal, a UFVJM e conta com cerca de 80 Bairros e Distritos.]

História

Janaúba, nome de origem indígena, significa planta leitosa, também conhecida como Algodão de Seda, vegetal da família das apocináceas, dicotiledônia, monopétala, abundante na região.

A história do município e de seu desenvolvimento está intrinsecamente ligada a duas forças propulsoras que se fazem sempre presentes: a privilegiada localização geográfica, o pioneirismo e a capacidade empreendedora de seus habitantes ao longo de sucessivas gerações.

Os primeiros habitantes, um povo cafuzo ou caboré, mescla de índios tapuias e quilombos, de negros que fugindo do cativeiro se estabeleceram no Vale do Gorutuba, tornando-se conhecidos como Gorutubanos. Hoje somente são chamados de Gorutubanos as pessoas que decendem de moradores mais antigos. O povo gorutubanos é formado em sua maioria por grandes clãs onde predominam tanto o matriarccalismo como o patriarcalismo. O matriarcalismo só era notado quando havia falta do chefe da família.

Janaúba, filha do Rio Gorutuba, é uma das cidades que mais se desenvolveu no Norte de Minas nos últimos 15 anos, exercendo influência nos municípios circunvizinhos. Crescimento que aconteceu baseado especialmente na fruticultura, com participação imprescindível dos projetos de irrigação, e que veio acompanhado de situações próprias aos centros que se desenvolvem rapidamente e que passam a atrair migrantes em busca de melhores condições de vida. Janaúba, torna-se cidade pólo.

A economia incorporou os benefícios trazidos pela construção da Represa do Bico da Pedra (no fim dos anos 70) pelo Governo Federal.

Na tentativa de superar os problemas sócio-econômicos, influenciados pelas questões geográficas, Janaúba percebe que será a união dos municípios a mola propulsora para o desenvolvimento sustentável. Motivo pelo qual que faz parte do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Integrado da Microrregião da Serra Geral de Minas – UNIÃOGERAL – composto por 16 municípios localizados no extremo norte do Estado de Minas Gerais.

Dos municípios do consórcio, 15 deles fazem parte da Bacia Hidrográfica do Rio Verde Grande. Na Bacia Hidrográfica do Rio Gorutuba, 13 dos municípios do consorcio fazem parte. Estes dois rios são afluente e subafluente do Rio São Francisco.
A economia da microrregião é baseada principalmente no Agronegócio, tendo como principais atividades: Bovinocultura de Corte e Fruticultura Irrigada. Nesta microrregião estão localizados 3 importantes perímetros irrigados, sendo: Projeto Jaíba, Projeto do Estreito e Projeto Gorutuba, este último, localizado em Janaúba, com uma localização privilegiada, pois além das culturas irrigadas, o Projeto Gorutuba favorece Janaúba com um grande potencial para o turismo, o ecoturismo, o artesanato, agroindústria e a agricultura familiar.

Clãs

Os mais conhecidos são as Famílias de Josefa Caldas da Silva que teve os filhos: Salviana Caldas da Silva, Balbina Caldas da Silva e Lucíno, cujo sobrenome não foi legado à posteridade. A família de Salviana até hoje é uma das mais conhecidas, onde a maioria reside na região norte da cidade nos bairros Veredas, Rio Novo, Boa Vista e espalhados por toda a cidade, sendo que esta morreu em 1936 deixando mais de 50 descendentes à época.

Hoje soma-se mais de oito centenas os seus descendentes. Inclui-se nesta família os clãns de Isabel Caldas da Silva, irmã de Josefa Caldas da Silva. Isabel teve como filhos a, Filisbina Caldas da Silva, Rosenda Caldas da Silva, Cecília Caldas da Silva, Cassimira Caldas da Silva e um filho de nome José onde seu sobrenome não foi legado ao futuro.
Há ainda o clãs e Liberta Maria de Jesus, Cecilia Maria de Jesus, mãe de Tiburtina Maria de Jesus, cujos descendentes constituíram uma assossiação da família.

Há outras famílias muito conhecidas tais como: os Pereira, Medeiros, Barbosa da Fonseca (habitam o bairro Barbosas), Marques da Silva, Vasconcelos, Serafim. Orgulha-se a cidade de filhos ilustres do passado como: Francisco Barbosa que por volta de 1872 chegava à região com esposa e filhos, fundando fazenda na terra de Caatinga Velha, levantando casa ao lado de frondosa gameleira, que deu nome à povoação.

Chegantes

Mais tarde vieram Antunino Antunes da Silva (Antônio Catulé), Américo Soares de Oliveira, Jacinto Mendes, Santos Mendes e Mozart Mendes Martins, que muito contribuíram para a formação e o progresso de Janaúba, estabelecendo-se nas imediações.

Por iniciativa de Antunino Antunes da Silva (Antônio Catulé) foi levantada em 1939 a Capela do Senhor Bom Jesus. Com a chegada da Estrada de Ferro Central do Brasil, em 1943, vieram a família Dº Maurício de Azevedo e Moisés Bento Lacerda.

Formação Administrativa

O Distrito foi criado em 31 de dezembro de 1943 pela Lei n.º 1.058, com o nome de Gameleira e o Município em 27 de dezembro de 1948, pela Lei n.º 336, tendo recebido o nome atual, sendo instalado 01 de Janeiro de 1949, com território desmembrado do município de Francisco Sá.

Gentílico: Janaubense.
Fonte: Site Internet

Seta
Versão do Sistema: 3.2.8 - 16/11/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia